Entrada > Notícias > Os mais recentes dramaturgos da ESMAE já podem ser "ouvidos"

Os mais recentes dramaturgos da ESMAE já podem ser "ouvidos"

ESMAE

A Pós-Graduação em Dramaturgia e Argumento da ESMAE, escola de Artes do P.PORTO, apresenta, em parceria com a RTP, a peça de teatro radiofónico "A Oito Mãos"


A Antena2 vai passar uma peça de teatro radiofónico no próximo feriado, dia 8 de dezembro, às 19h intitulada “A Oito Mãos” produzida pela Escola Superior de Música e Artes do Espetáculo | ESMAE do Politécnico do Porto. 

"A Oito Mãos" é um exercício de memória, uma história passada entre mensagens e telefonemas, em que a perda, segredos e o passado encontram redenção na linguagem do amor e da liberdade.

O texto é de Laura Avelar Ferreira, atriz e encenadora, que concluiu a Pós-Graduação de Dramaturgia e Argumento em 2019, e conta com as vozes de Cecília Ferreira, Flora Miranda, Laura Avelar Ferreira, Sofia Príncipe, António Durães, Sofia Saldanha, Clara Felizes e Carolina Pereira. A música é de Bruno Vicente e João Bastos, interpretada por Beatriz Isabel Pinheiro (clarinete), Daniel Almeida (piano) e João Francisco Chicória (violino) com coordenação musical de Sofia Teixeira. A coordenação geral é de Jorge Louraço Figueira e Marco Conceição.

Para Jorge Louraço, dramaturgo e coordenador da pós-graduação o teatro radiofónico e as experiências de ficção sonora "permitem brincar com a linguagem dramática através de um meio muito específico, e só por isso já é um bom exercício artístico" salientando que "a nossa ideia é levar o ouvinte a ter uma experiência profunda, porque o som tem uma capacidade de evocar memórias muito grande, e de levar o espectador através de uma viagem pessoal muito forte".

Para além desta peça radiofónica estão no ar desde ontem uma série de micro-peças escritas pelos alunos de 2019-20 no âmbito das aulas de escrita para áudio, orientadas por pela Sofia Saldanha. É uma por dia e foram realizadas pelo Centro de Dramaturgia e Argumento (CeDA), grupo constituído por estudantes da primeira edição da pós-graduação.

Mas nem só do som e da palavra vive esta formação inédita em Portugal, com diversas peças e leituras encenadas com emissão agendada na RTP2. A pós-graduação promove não só uma formação sistemática em dramaturgia, como possibilita a oportunidade de trabalhar diretamente com profissionais nesta área e garante visibilidade em diferentes plataformas às novas vozes em dramaturgia e argumento.

Segundo o coordenador "a formação artística só está completa quando o aprendiz sente a reação do público e, no caso da dramaturgia, das equipas que realizam os textos, seja no teatro, seja na tela, seja nos altifalantes (Nesse sentido, cada obra é uma lição para o respetivo autor)".

Jorge Louraço destaca a importância das parceria com o TNSJ, a RTP2 e a Antena2, ou com Serralves. "São estas parcerias que permitem que seja feita a verdadeira conclusão do curso."

"Ao mesmo tempo"  - conclui - "é urgente diversificar as dramaturgias, e essas instituições, não por acaso públicas e nacionais, são as ideais para fazer esse trabalho."

Autor

GCDI | P.PORTO

Partilhar