Entrada > Notícias > O Politécnico do Porto celebrou 34 anos sob o signo da coesão

O Politécnico do Porto celebrou 34 anos sob o signo da coesão

Presidência

A Sessão Solene do 34.º aniversário do Politécnico do Porto decorreu no dia 25 de fevereiro


O Auditório Magno do Instituto Superior de Engenharia do Porto (ISEP) foi pequeno para receber todos os que se juntaram para celebrar o 34.º aniversário do Politécnico do Porto. O evento, que decorreu na presença das mais diversas personalidades civis e académicas, constituiu um momento de homenagem àqueles que se destacaram no âmbito do seu eixo de ação, de forma exemplar.

O esforço e espírito inovador, a robustez da atividade investigativa, o compromisso institucional e a formação de excelência, que colaboram de forma assertiva com o desenvolvimento do Politécnico do Porto, foram objeto de reconhecimento institucional. Rui Macedo recebeu o Prémio de Inovação Pedagógica 2018, Andreia de Sousa, o Prémio Investigador 2018, Cláudia Barrias o Prémio Docente e Elsa Pinto o Prémio de Funcionário Não Docente. O Prémio Estudante de Licenciatura e Estudante de Mestrado foi entregue, respetivamente a Catarina Ferreira (ESS) e a Ana Leite (ESMAE).

João Rocha, Presidente do Politécnico do Porto, no encerramento da sessão, destacou a vontade de prosseguir e fortalecer o papel da instituição enquanto fonte de conhecimento, inovação e cultura. “Por isso” – afirma – “necessitamos da colaboração da sociedade, e de todos vós”.

“Conhecemos as dificuldades que as instituições do ensino superior enfrentam para desempenhar a sua missão” – declara o Presidente, salientando que – “num mundo em constante e rápida mudança torna-se particularmente importante reforçar a coesão das instituições, permitindo o estabelecimento de uma estratégia clara e assegurando o empenho individual e coletivo.” Para João Rocha o Politécnico do Porto tem ainda um longo caminho a percorrer no sentido da coesão institucional, acrescentando que "a ação de um indivíduo, de um grupo ou de uma escola tem impacto na atividade de todos os restantes".

Também para José Marques dos Santos, Presidente do Conselho Geral do Politécnico do Porto, a afirmação da identidade distintiva, propósito e responsabilidade institucional devem contemplar a exigência crescente das abordagens interdisciplinares, do reforço da coesão interna e do orgulho de pertença à comunidade. "Nunca é demais salientar a importância que a coesão, o trabalho em equipa e a comunhão de interesses tem para o fortalecimento da nossa instituição como um todo" - afirma Marques dos Santos, acrescentando que "só assim, unida na sua diversidade, expandimo-nos nacional e internacionalmente, fazendo face aos inúmeros desafios que a conjuntura económica e a competitividade global coloca ao Ensino Superior neste momento."

E foi com os olhos orientados para o futuro que o Politécnico do Porto revisitou e celebrou o seu passado numa justa homenagem ao primeiro Presidente do Politécnico do Porto, o professor Luís Soares, agraciado com o título de Presidente Emérito.

"O que retiro desta honra que me foi concedida é que o instituto não rejeita o seu passado mas sobre ele é capaz de enfrentar o futuro, corrigindo eventuais erros, construindo novos sucessos sob os alicerces já alcançados,  desenvolvendo, inovando, criando num caminho sem recuo, de afirmação de um instituto de referência no ensino superior, apto a enfrentar todos os desafios, a superar todas as dificuldades. É com uma palavra de estímulo a todos os que integram a comunidade do Politécnico do Porto que desejo uma vida de sucessos do instituto."

Parabéns a todos e a cada um!

Autor

CCIC | P.PORTO

Partilhar