Entrada > Notícias > Compositor e docente do P.PORTO vence prémio da OCC

Compositor e docente do P.PORTO vence prémio da OCC

ESMAE

Nuno Peixoto Pinho é professor no mestrado em Ensino de Música (ramo Formação Musical) ministrado pela ESMAE e ESE, respetivamente, escola de Artes e escola de Educação do Politécnico do Porto


Nuno Peixoto Pinho, compositor e docente da Escola Superior de Música e Artes do Espetáculo (ESMAE) e da Escola Superior de Educação (ESE), no mestrado em Ensino de Música (ramo Formação Musical), venceu a segunda edição do prémio Francisco Martins da Orquestra Clássica do Centro (OCC), com o tema AGRYPNIA.

O júri constituído por Luís Tinoco, Sérgio Azevedo, Dimitris Andrikopoulos e pelo maestro titular da OCC, Jan Wierzba, atribuiu ainda duas Menções Honrosas a Diogo André Novo Almeida Carvalho com o tema Do nervo  e Gerson de Sousa Batista com o tema O Despertar de Cronus.

Este prémio, instituído pela OCC, pretende "não só perpetuar o nome do intérprete e compositor Francisco Martins, como promover valores musicais na área da composição, com a objetivo de incentivar a produção e dar a conhecer novas obras que enriqueçam o património bibliográfico musical", refere a orquestra em nota de imprensa.

Para além do valor pecuniário atribuído pelas Livrarias Almedina , a obra AGRYPNIA será editada pelas Edições AVA e interpretada pela orquestra em data a anunciar.

Natural de São João da Madeira, onde iniciou os estudos musicais na Academia de Música, Nuno Peixoto Pinho tem um percurso original, onde abraça múltiplos géneros e formatos, da música orquestral à de câmara, passando pela música vocal e ensemble. O seu repertório revela uma especial dedicação à música pré-existente, a partir da qual produz mutações e estabelece diálogos com outros géneros musicais, que resultam numa distorção/relação com a sua fonte. Desta forma, Nuno procura alcançar novas consciências ou como o próprio compositor denomina de "reciclagem musical".

Este percurso é objeto de estudo da sua tese de doutoramento designada de “Processos de Criação e Reutilização Musical a partir da obra do compositor Jorge Peixinho (1940-1995)”. O interesse manifestado pela área da informática como ferramenta de apoio à orquestração está também patente na tese, orientada por  Sofia Lourenço e Erik Oña, respetivamente da Escola das Artes da Universidade Católica do Porto e Musik-Akademie Basel (Suíça).

O prémio Francisco Martins vem assim acrescentar um rol de outras distinções, tais como o primeiro prémio no 4.º Concurso Internacional de Composição da Póvoa de Varzim com a obra para orquestra This is not a  poem; o segundo prémio no Concurso Internacional de Composição GMCL/Jorge Peixinho com a obra Conciliabulu para música de câmara, ou o primeiro prémio no Concurso de Composição - Academia de Flauta de Verão com a obra OU para flauta e contrabaixo.

Para além de docente do P.PORTO, Nuno lecciona na Academia e Escola Profissional de Música de Espinho, Academia de Música de Santa Maria da Feira e Academia de Música de Fafe. Colabora, desde 2007, com o Serviço Educativo da Casa da Música como membro do Factor E!, associado a projectos como Orquestra de iPhones, Prometeu na Gongolândia ou Fantasia sobre a Fantasia.

Autor

CCIC | P.PORTO

Partilhar