Entrada > Notícias > Trabalho de estudantes do P.PORTO no projeto europeu Arrowhead

Trabalho de estudantes do P.PORTO no projeto europeu Arrowhead

ISEP

Este é um dos maiores projetos europeus na área da Internet das Coisas, com um orçamento de aproximadamente 90 milhões de euros.


Paulo Barbosa e Renato Ayres, recém-licenciados em Engenharia Informática pelo Instituto Superior de Engenharia do Porto (ISEP), desenvolveram recentemente um sistema de suporte de Qualidade de Serviço (QoS), que foi integrado numa framework do projeto europeu Arrowhead. A solução assume relevância, uma vez que permitirá suportar aplicações que necessitem de grande precisão temporal como, por exemplo, aplicações de automação industrial ou multimédia.

Sob o título Qos for High Performance IoT Systems/Qualidade de Serviço Para Sistemas IoT de Alto Desempenho, o projeto realizou-se no âmbito da unidade curricular Projeto/Estágio e foi classificado com 19 valores, contando com a orientação académica de Luís Lino Ferreira e Paulo Baltarejo de Sousa, ambos docentes do ISEP. Os investigadores José Silva e Roberto Duarte (estudantes do ISEP), em parceria com o cientista-convidado Michele Albano também deixaram o seu importante cunho no resultado final.

"A solução desenvolvida consegue garantir QoS para aplicações IoT [Internet das Coisas], sendo altamente flexível com uma arquitetura genérica adaptada a qualquer protocolo de comunicação e a qualquer requisito de QoS. Os objetivos aqui estabelecidos foram muito desafiantes e trabalhosos, contudo com uma forte união do grupo foi possível desenvolver-se uma solução bastante interessante", contam os estudantes responsáveis pelo projeto, Paulo Barbosa e Renato Ayres. Uma breve demonstração do trabalho desenvolvido encontra-se partilhada no canal YouTube oficial do projeto Arrowhead.

O trabalho resultou de um estágio de nove meses no CISTER (Centro de Investigação em Sistemas Confiáveis e de Tempo-Real). Durante esse tempo, o desenvolvimento do projeto dividiu-se em duas grandes fases, passando primeiro pela criação de uma arquitetura genérica, e depois pela implementação de um projeto piloto baseado na tecnologia de comunicação em tempo-real FTT-SE (Flexible Time Triggered – Switched Ethernet).

Convém recordar que, tal como mencionado acima, os resultados foram aplicados numa framework enquadrada no projeto Arrowhead, sendo este um dos maiores projetos europeus na área da Internet das Coisas. Com um orçamento de aproximadamente 90 milhões de euros, o Arrowhead conta com a participação de mais de 70 instituições europeias, incluindo o ISEP através do CISTER. Iniciado em 2013, os principais objetivos assentam no desenvolvimento de uma plataforma de automação aplicável a múltiplas áreas, nomeadamente à indústria, logística, aplicações IoT, eficiência energética e produção de energia.

De salientar que o Arrowhead termina em fevereiro. No entanto, fruto do sucesso alcançado, foi já aprovado o projeto Productive 4.0 que irá permitir aumentar os níveis de desenvolvimento da tecnologia criada. O estágio dos dois estudantes no CISTER, e o resultado final obtido, atestam a qualidade de ensino da Licenciatura em Engenharia Informática do ISEP. Este curso distingue-se, assim, por formar profissionais altamente competentes, especializados na área de engenharia de software.

Autor

miguel.carvalho@sc.ipp.pt

Partilhar