Entrada > Notícias > Politécnico do Porto integra Centro Colaborativo VORTEX

Politécnico do Porto integra Centro Colaborativo VORTEX

ISEP

A unidade de Investigação CISTER do ISEP, escola de Engenharia do Politécnico do Porto, associa-se à Altran Portugal num projeto de Sistemas Ciber-Físicos e Cibersegurança


No dia 22 de março foi apresentado o co-lab VORTEX, ecossistema colaborativo entre centros de investigação, start-ups e líderes industriais com o objetivo de explorar tendências tecnológicas emergentes e as aplicar no desenvolvimento de novos produtos que respondam aos mais recentes desafios dos mercados, sobretudo no domínio dos sistemas ciberfísicos e da cibersegurança.

A unidade de Investigação CISTER - Centro de Investigação em Sistemas Confiáveis e de Tempo Real, do Instituto Superior de Engenharia do Porto (ISEP), associa-se à Altran Portugal, líder do projeto, à Universidade Nova de Lisboa (UNL), ao INESC TEC (através do HASLab) e à plataforma de inovação Beta-i no mais recente projeto colaborativo entre centros de investigação, start-ups e líderes industriais.

“O Politécnico do Porto possui já uma grande tradição no domínio da transferência de conhecimento de tecnologia para a indústria - afirma João Rocha, Presidente do Politécnico do Porto.  “O CISTER” – declara – “é um excelente exemplo no desenvolvimento de tecnologias para sistemas ciber-físicos altamente críticos, aplicáveis, por exemplo, na tecnologia automóvel ou aeroespacial”.

“Neste processo de amadurecimento tecnológico, em que o processo de validação até ao mercado é sempre complexo e muito exigente, é crucial o networking entre academia e indústria.”Dando como exemplo o setor automóvel e aeronáutico - domínios de aplicação ávidos de inovação tecnológica, João Rocha considera o VORTEX um excelente caso de adequação estratégica e um parceiro fundamental ao cumprimento dos pilares estratégicos do Politécnico do Porto, respondendo com soluções cada vez mais próximos das exigências do mercado, tanto nacional como internacional.

Com o objetivo de posicionar-se como referência europeia no mercado de conceção de novos dispositivos, o Vortex permitirá, segundo Rodrigo Maia, CTO da Altran Portugal e diretor executivo do VORTEX, antecipar tendências das tecnologias do futuro, integrando num mesmo centro unidades de investigação líderes na área e como europeus, impulsionando uma efetiva transferência de conhecimento e cocriação de novos produtos nos setores de Automóvel, Aeroespacial, Telecomunicações, Dispositivos Médicos e Energia. 

Para o Ministro da Ciência, Tecnologia e Ensino Superior, Manuel Heitor, o VORTEX “representa criar emprego com transformação digital, através de um novo tipo de instituições que vêm estimular a partilha de risco entre os setores público e privado em investir no conhecimento e na cocriação de emprego".

O VORTEX irá investir em programas anuais de aceleração, focados em elevar o nível de maturidade tecnológica de novos resultados de investigação que saem dos parceiros científicos, e que demonstrem a sua aplicabilidade em novos produtos industriais. 

 A iniciativa irá arrancar nas instalações da Altran Portugal e, ao longo de 2019, terá um espaço próprio no pólo tecnológico da Altran, em Vila Nova de Gaia. 

Autor

CCIC | P.PORTO

Partilhar