Entrada > Notícias > UpSkill | P.PORTO firma protocolos com 5 empresas

UpSkill | P.PORTO firma protocolos com 5 empresas

Presidência

O Programa UpSkill - Digital Skills & Jobs arrancou hoje com 500 vagas nas áreas da tecnologia da informação


Iniciou hoje o programa UpSkill, uma iniciativa da APDC (Associação Portuguesa para o Desenvolvimento das Comunicações), o IEFP (Instituto de Emprego e Formação Profissional) e o CCISP (Conselho Coordenador dos Institutos Superiores Politécnicos). O projeto tem como objetivo reconverter três mil empregados e desempregados em profissionais das atividades tecnológicas, dar resposta às necessidades do mercado na área da tecnologia e aumentar o nível de formação em Portugal.

A cerimónia oficial de contratualização entre as primeiras 13 empresas aderentes e Instituições de Ensino Superior decorreu esta sexta-feira, em Lisboa, no Teatro Thalia. Presente na cerimónia esteve João Rocha, presidente do Politécnico do Porto, Pedro Siza Vieira, ministro de Estado, da Economia e da Transição Digital, Manuel Heitor, ministro da Ciência, Tecnologia e Ensino Superior, e Rogério Carapuça, presidente da APDC.

Neste âmbito, o Politécnico do Porto celebrou protocolos com cinco empresas de referência na área das tecnologias: a Altran, CEiiA, a Deloitte Portugal, Experis e a Indra, que se disponibilizam a contratar até 80% dos formandos, num espaço temporal de três anos. A formação de 6 meses passa pela qualificação de recursos humanos para áreas como a Java, gestão de plataformas cloud ou programação em plataformas low-code, algumas das competências identificadas como necessidades do mercado. 

De acordo com os responsáveis do UpSkill, este programa “contribui para acelerar a tão necessária recuperação da economia, numa altura em que se tornou ainda mais evidente a importância da transformação digital das organizações”.

Manuel Heitor precisou o âmbito de atuação: "Converter, formar ou reconverter competências para o mundo digital, ao mesmo tempo que atraímos talento internacional" - explica, sublinhando que tal é possível dada a participação ativa de um leque diversificado de empresas "mas também, e sobretudo, das instituições politécnicas, que se adaptaram de forma rápida e oportuna a uma necessidade: a de formar e atualizar competências na área digital."

As inscrições já estão abertas e, de acordo com Rogério Carapuça, da APDC, até esta quinta-feira tinham sido validadas 2650 candidaturas. O programa destina-se prioritariamente a quem esteja desempregado ou a quem queira tentar uma nova oportunidade de carreira.

Autor

GCDI | P.PORTO

Partilhar