Entrada > Notícias > P.PORTO adquiriu 7 Desfibrilhadores Automáticos Externos

P.PORTO adquiriu 7 Desfibrilhadores Automáticos Externos

Presidência

O DAE é um dispositivo portátil que permite, através de eléctrodos adesivos colocados no tórax de uma vítima em paragem cardio-respiratória, analisar o ritmo cardíaco e recomendar ou não um choque eléctrico


Anualmente, mais de 700.000 adultos na Europa morrem de doença cardiovascular, fazendo desta a primeira causa de morte no Ocidente. Pelo menos 40% morrem de morte súbita cardíaca, antes mesmo de chegarem ao hospital. A morte súbita cardíaca atinge pessoas de todas as idades e condições físicas. Muitas destas vidas podem ser salvas se as testemunhas presentes ligarem o número de emergência (112) e iniciarem de imediato o suporte básico de vida (SBV) e, se devidamente formados/treinados providenciarem a desfibrilhação em escassos minutos. 

Em ambiente extra-hospitalar, a utilização do Desfibrilhador Automático  Externo (DAE) por pessoal não-médico aumenta significativamente a probabilidade de sobrevivência das vítimas em paragem cardiorrespiratória de origem cardíaca.

Neste sentido, e no âmbito das suas responsabilidades em matéria de segurança e saúde dos seus colaboradores e da comunidade em geral, o Politécnico do Porto adquiriu sete Desfibrilhadores Automáticos Externos, que permitem garantir o socorro atempado nos seguintes serviços e escolas:

  • Serviços Comuns;
  • Biblioteca Central;
  • Centro Desportivo;
  • Escola Superior de Educação;
  • Escola Superior de Música e Artes do Espetáculo;
  • Escola Superior Media Artes e Design e Escola Superior de Hotelaria e Turismo (Campus 2);
  • Instituto Superior de Contabilidade e Administração do Porto;
  • Escola Superior de Tecnologia e Gestão;
  • PORTIC - Porto Research, Technology & Innovation Center.

 

A esta lista juntam-se o Instituto Superior de Engenharia do Porto, que possui o seu DAE licenciado, e a Escola Superior de Saúde, que já havia adquirido o referido equipamento.

Após o processo da aquisição, realizaram-se sete cursos de formação, ficando 38 trabalhadores devidamente formados e treinados a providenciar a desfibrilhação. Futuramente pretende-se realizar mais cursos de formação, abrangendo um leque maior de trabalhadores.

Depois de um pré-licenciamento de dois DAE (Campus 2 e ESTG), o processo de licenciamento de todos os aparelhos junto do INEM foi concluído, o que permite que sejam utilizados em situação de emergência pelos trabalhadores devidamente formados em todos os espaços anteriormente elencados.

Para informações adicionais contacte  os serviços de segurança no trabalho do Politécnico do Porto ().

Autor

GCDI | P.PORTO

Partilhar