Entrada > Notícias > Fintar o Estigma

Fintar o Estigma

Presidência

O Centro Desportivo do Politécnico do Porto recebeu, no dia 27 de maio, mais um torneio ibérico de futsal inclusivo pela saúde mental.


Fomentar o debate sobre o estigma da doença mental na comunidade académica da cidade do Porto é o que se pretende com o projeto Fintar o Estigma, que culminou no passado sábado, dia 27, com um torneio de futsal inclusivo que envolveu atletas representantes de sete instituições de reabilitação psiquiátrica e três Instituições de Ensino Superior da cidade do Porto, incluindo o P.PORTO. Estudantes, pessoas com problemas do foro mental, comunidade académica e voluntários estiveram em contacto dentro das quatro linhas, para acabar com estereótipos.

O projeto Fintar o Estigma resulta da colaboração entre a Associação Nova Aurora na Reabilitação e Reintegração Psicossocial (ANARP), o Laboratório de Reabilitação Psicossocial da Escola Superior de Saúde do Politécnico do Porto, a Faculdade de Psicologia e Ciências da Educação da UP, o Centro Desportivo do Politécnico do Porto e a Faculdade de Desporto da Universidade do Porto (FADEUP).

A quarta edição do torneio decorrer no Centro Desportivo do Politécnico do Porto entre as 10 e as 18h. A iniciativa envolveu um total de sete instituições de saúde mental: ANARP, Associação de Familiares e Amigos da Doença Mental – Centro Hospitalar de São João (AFADOME), a Casa Ozanam - Associação das Obras Sociais de S. Vicente de Paulo, o Centro Hospitalar Conde Ferreira (Santa Casa da Misericórdia do Porto), Associação Familiares Amigos e Utentes do Hospital Magalhães Lemos, Associação de Familiares e Amigos de Pessoas com Psicose (AGIRAR) e a espanhola, Fundación INTRAS; e três escolas do ensino superior, a saber: Escola Superior de Saúde, Escola Superior de Educação (ambas do P.PORTO) e Faculdade de Desporto da Universidade do Porto.

Através do contacto direto e do ambiente informal assegurado pela prática desportiva, este evento cria um espaço de cruzamento e interação entre realidade distintas, potenciando a redução do estigma face à doença mental na comunidade académica e criando concomitantemente oportunidades de participação comunitária e inclusão social para pessoas com problemas de saúde mental.

Mais ainda, o projeto envolve uma fase de preparação dos atletas que implica treinos semanais e jogos amigáveis entre as entidades envolvidas no projeto e outras equipas convidadas durante um período de cerca de quatro meses, fomentando a prática de atividade física nos utentes das instituições de reabilitação, promovendo dessa forma o seu bem-estar e qualidade de vida.

Autor

miguel.carvalho@sc.ipp.pt

Partilhar