Entrada > Notícias > Alunos e professores de visita à Comissão Europeia e ao Parlamento Europeu

Alunos e professores de visita à Comissão Europeia e ao Parlamento Europeu

ISCAP

Texto de Joana Fernandes, docente do Instituto Superior de Contabilidade e Administração do Porto.


Nos dias 25 e 26 de abril um grupo de alunos e de professores da Licenciatura em Assessoria e Tradução, do Mestrado em Tradução e Interpretação Especializadas e da Pós-graduação em Tradução Assistida por Computador participou numa visita de estudo à Comissão Europeia e ao Parlamento Europeu, com o objectivo de melhor conhecer o contexto de trabalho do tradutor e do intérprete nas duas instituições europeias.

Apesar de os aeroportos de Zaventem e Charleroi não serem, neste momento, espaços onde se circule despreocupadamente, o grupo que chegou a Bruxelas, a meio de uma manhã inusitadamente fria e pluviosa de domingo, estava galvanizado pela oportunidade singular de ver, ouvir e interagir com aqueles que são discretamente responsáveis pela promoção do diálogo e pela criação do entendimento intercultural na Babel europeia: tradutores e intérpretes. Antes da jornada intensa de trabalho que se aproximava, havia ainda uma tarde para fruir da atmosfera deliciosamente apetecível da capital bilingue. O grupo reuniu-se no Grote Markt, um ponto de encontro cliché, mas imperdível para qualquer turista ou viajante.

A arquitectura das trapgevels (fachadas em escada), estranhas ao sul da Europa, a elegância multicultural dos que ali vivem, as boutiques des praliniers e o cheiro sublime de gaufres ao virar de cada esquina marcam um fluxo de experiências sensoriais memoráveis. Mas, o dia teria sido imperfeito se não houvéssemos cedido à tentação venial de degustar cerveja flamenga, acompanhada de mexilhões com batatas fritas.

Comissão Europeia, segunda-feira, dia 25 de abril, 9 horas. A pontualidade do grupo é elogiada pela anfitriã Ekaterina Naos, que nos recebe com empatia e explica detalhadamente os objectivos do primeiro dia da visita de estudo, dedicado a conhecer o funcionamento da DGT (Direcção Geral de Tradução da Comissão Europeia) e, em particular, o Departamento de Tradução de Língua Portuguesa. Fomos então recebidos pela Directora deste último, Cristina de Preter, que contextualizou a evolução do trabalho de tradução dentro da Comissão Europeia e explicitou as novas oportunidades de trabalho que hoje se prefiguram. O dia foi preenchido por um conjunto de conferências proferidas por representantes de diferentes entidades, nomeadamente do Departamento de Português, da Unidade de Tradução Externa, do Departamento de Recursos Humanos — Serviço Europeu de Seleção do Pessoal (EPSO)  e da Unidade de Comunicação. Houve ainda oportunidade de conhecer detalhadamente as instalações e interagir informalmente com os tradutores, dialogando sobre o fluxo de trabalho de tradução, tal como é concebido dentro da Comissão Europeia e indagando sobre questões de recrutamento e de estágios profissionais.

Rue Van Maerlant, Comissão Europeia, terça-feira, dia 26 de abril, 9h30. A pontualidade continua a caracterizar o grupo. Somos recebidos por Anabela Frade, Chefe da Unidade de Língua Portuguesa do SCIC (Serviços de Interpretação da Comissão Europeia) e por Júlio Monteiro, um dos intérpretes da cabine portuguesa. É fomentado um espaço de diálogo fundamentalmente endereçado aos alunos do grupo e a adrenalina sobe rapidamente com o lançamento de um repto: experimentar a interpretação simultânea e consecutiva de um discurso em inglês. Os estudantes mais temerários não hesitam e vivem o momento inesquecível de interpretar um discurso no espaço físico onde decorrem reuniões europeias ao mais alto nível e será necessário referir que, apesar da inexperiência respondem com surpreendente qualidade ao desafio.

Parlamento Europeu, 14h30. A jornada de trabalho volta a assumir o formato de conferência. Somos apresentados ao Chefe  da Unidade de Interpretação em Língua Portuguesa do Parlamento Europeu, Francisco Falcão, que partilha com detalhe as particularidades e sensibilidades do trabalho de interpretação no contexto político da União. A tarde termina com uma visita à exposição permanente do Parlamentarium.

Foi uma experiência inolvidável, sob os pontos de vista académico, profissional e cultural. Uma oportunidade singular de absorver conhecimento sistematizado, no âmbito da Tradução e da Interpretação, devidamente equilibrada com momentos igualmente intensos de imersão na cultura local.

Guardaremos o melhor desta viagem: o conhecimento e as memórias.

Autor

miguel.carvalho@sc.ipp.pt

Partilhar