Entrada > Notícias > 42 anos a criar o futuro da Saúde

42 anos a criar o futuro da Saúde

ESS

Num assinalar do arranque do ano letivo do Politécnico do Porto, a Escola Superior de Saúde celebrou o seu aniversário com a presença do Secretário de Estado da tutela, Pedro Nuno Teixeira


A Escola Superior de Saúde (ESS) do Politécnico do Porto festejou, no dia 23 de setembro, 42 anos, num dia marcado pela presença de várias personalidades, entre as quais a do Secretário de Estado do Ensino Superior (SEES), Pedro Nuno Teixeira e a da deputada e ex-presidente do P.PORTO, Rosário Gambôa.

Cristina Prudêncio, Presidente da ESS, inaugura o evento com um discurso feliz e orientado para o futuro. Embora enfatizando um sentimento de realização, a presidente declara desejar "fazer mais, dar continuidade, de forma sustentada e responsável, a este trabalho". Para Cristina Prudêncio, o caminho percorrido, e que fez da Escola a maior instituição de ensino superior da área da saúde em Portugal no subsistema politécnico, "é fruto do empenho e trabalho de docentes, funcionários e dos nossos estudantes, que deram sempre o seu melhor na realização deste projeto".

O Presidente do P.PORTO, Paulo Pereira, sublinha a correlação forte entre educação e saúde: "o Politécnico do Porto é hoje uma comunidade mais conhecedora, mais empoderada, em virtude da elevada qualidade, do ensino e da investigação da Escola Superior de Saúde". Para Paulo Pereira, a promoção da literacia em saúde é um sinal de desenvolvimento e "constitui um dos fatores determinantes na promoção da qualidade de vida e desenvolvimento social".

Este aniversário atesta um momento crucial de reflexão sobre a Saúde e o ensino superior no nosso país, sobretudo depois dos desafios lançados pelo contexto dos últimos anos. A pandemia estimulou as instituições de ensino superior e os seus docentes a repensarem modos de ensino, aprendizagem e avaliação. Por isso, Pedro Nuno Teixeira marca a importância desta celebração com grande  entusiasmo. "Hoje podemos estar próximos, celebrar presencialmente, em comunidade, particularmente depois de dois anos muito duros".

O Secretário de Estado evidencia o clima otimista, patente nos cerca de 50 mil estudantes que entraram no ensino superior este ano. "Mas não há tempo para complacências, não podemos celebrar estes números e daqui a um ano procurar justificar o abandono escolar". São ainda muitos os desafios pela frente", refere, salientando ser crucial a cooperação dentro e entre instituições e o sentido de comunidade como um dos pilares de sucesso e desenvolvimento.

"O que testemunho hoje, aqui, é precisamente essa disponibilidade para a cooperação, a inovação e a criação de oportunidades", conclui.

Parabéns, ESS!

Autor

GCI | P.PORTO

Partilhar