Entrada > Um de Nós 2019 > Um de Nós | Carla André

Um de Nós | Carla André

ESS

Carla André iniciou a atividade profissional na Administração Regional de Saúde do Norte, onde ficou entre 1998 a 2000, e em 2001 começou a trabalhar na ESS, escola de Saúde do p.PORTO


QUANDO COMEÇOU A SUA LIGAÇÃO À ESCOLA? 
Trabalho na ESS desde 2001, vim para a Escola para efetuar, na altura, uma tarefa provisória, em part-time, mas acabei por ficar até à data

COMO RECORDA OS PRIMEIROS TEMPOS? 
As memórias que me vêm logo à cabeça quando penso nos primeiros tempos em que comecei a trabalhar na ESS são as várias mudanças de instalações. Mal entrei para a ESS, passado poucos meses, participei logo numa mudança de instalações

O QUE TORNA O SEU TRABALHO ESPECIAL? 
No meu Serviço trato de assuntos muito variados ao longo do dia, pelo que não existe monotonia e o tempo passa a correr.

O QUE TORNA ESTA ESCOLA ÚNICA? 
A relação de proximidade e a facilidade de comunicação que existe entre funcionários, docentes e os vários elementos da Presidência.

O QUE MAIS MUDOU NESTES ANOS? 
Acho que o que tem vindo a notar-se na ESS é o grande e constante aumento do número de estudantes, o que denota um grande interesse pelos nossos Cursos

CONTE-NOS UM EPISÓDIO MARCANTE
A mudança de instalações para onde estamos atualmente, para as nossas instalações definitivas, já que nestes anos todos, estive presente em todas as mudanças de instalações e finalmente temos a “nossa casa própria”

UMA IDEIA PARA O FUTURO
Espero que a nossa Escola continue a crescer, a todos os níveis, e que continue a ser uma referência na área de ensino, nos Cursos de diagnóstico e terapêutica, na Saúde

INSERIR VÍDEO


A rubrica
  Um de Nós representa um espaço de partilha de experiências, ideias, histórias, e projetos, com uma breve entrevista a estudantes, docentes e não-docentes. É nossa convicção que cada Escola guarda — nos seus bastidores, salas, corredores e gabinetes — muitos rostos e talentos.  Queremos ser a voz de cada um de nós porque as grandes histórias por vezes estão mais próximas do que imaginamos

 

 

Autor

CCIC | P.PORTO

Partilhar