Entrada > Notícias > Apelo de emergência às vítimas do ciclone em Moçambique

Apelo de emergência às vítimas do ciclone em Moçambique

Presidência

Moçambique vive neste momento um desastre humanitário a larga escala e toda a ajuda é pouca


NOTA: Dada a quantidade de donativos entregues em Portugal, agradecemos a vossa colaboração mas já esgotámos a capacidade de resposta.

A passagem do ciclone Idai afectou mais de 1,5 milhões de pessoas em três países (Moçambique, Zimbabwe e Malawi). A cidade da Beira, uma das maiores em Moçambique, com meio milhão de habitantes, foi uma das zonas mais afetadas e mais de um terço são crianças, estima a UNICEF. Até à data centenas de pessoas morreram, milhares estão desaparecidos e dezenas de milhar isoladas.

A Cruz Vermelha Portuguesa está a recolher donativos para auxílio humanitário a Moçambique.

As principais necessidades avaliadas são na área da saúde, água, saneamento e higiene, abrigo e artigos de primeira necessidade, sublinha o organismo, que comunicou já à sua congénere em Moçambique “a disponibilidade para apoiar as respostas humanitárias” e pediu “à comunidade para contribuir através de donativos para o seu Fundo de Emergência”.

Donativos para o Fundo de Emergência: 
- Multibanco, tecla Pagamento de Serviços, Entidade 20 999 e Referência 999 999 999
- Transferência bancária para a conta n.º PT50 0010 0000 3631 9110 0017 4
- Online, em www.cruzvermelha.pt (separador Doar)

Também os CTT lançaram uma campanha de recolha de roupas  — uma das grandes necessidades, segundo o pedido dos Correios de Moçambique — fornecendo embalagens solidárias para que os portugueses possam enviar roupas. Basta chegar a uma das 538 lojas CTT espalhadas por todo o país, pedir uma embalagem solidária, colocar o donativo e o envio será realizado de forma gratuita.

Também no Politécnico do Porto temos um ponto de recolha. Para participar basta trazer o seu donativo (roupa) e deixá-lo na portaria dos Serviços Comuns, até ao dia 7 de abril.

Autor

CCIC | P.PORTO

Partilhar