Entrada > Notícias > Assim que Passarem Cinco Anos – Lenda do Tempo

Assim que Passarem Cinco Anos – Lenda do Tempo

ESMAE

Quando

05 > 09.07.2017 · 21:30 > 23:00

Onde

Teatro Helena Sá e Costa

Nome do Contacto

Telefone do Contacto

225 193 765

Adicionar evento ao calendário

De 5 a 9 de julho (quarta a sábado às 21h30, domingo às 16h). Bilhetes a 4€.


O alunos do 3.º ano do curso de Teatro da Escola Superior de Música e Artes do Espetáculo (ESMAE) estreiam, no dia 5 de julho, a peça Assim que Passarem Cinco Anos – Lenda do Tempo, de Federico Garcia Lorca (1931), com encenação de Lígia Roque.

A história, aparentemente simples, é a de um jovem que espera cinco anos pelo regresso da sua noiva, sendo que isto é apenas o ponto de partida para uma profunda experimentação do autor sobre os limites do teatro e da poesia, do trágico e do cómico, da realidade e da ficção. É um homem incógnito num lugar incógnito, por onde transitam estranhos personagens que o autor conduz por um labirinto textual, onde perdem sentido as fronteiras entre o tempo e o espaço, entre a vida e a morte.

Lígia Roque Encenação
Atriz, encenadora e professora de teatro. Paralelamente à licenciatura na Faculdade de Letras, forma-se no Teatro Universitário de Coimbra. Mais tarde ruma a Paris para frequentar o Conservatório Nacional de Arte Dramática e, no Porto, onde trabalhou como atriz de 1996 a 2012 no Teatro Nacional São João, faz uma pós-graduação em Texto Dramático Europeu.

Federico García Lorca Texto
Nasceu em 1898 numa pequena aldeia de Granada e é considerado um dos mais importantes escritores modernos de língua espanhola. Em 1918 publicou o seu primeiro livro, Impressões e Paisagens. Em 1920 estreou-se no teatro com a peça O Malefício da Mariposa. No fim do manuscrito da peça Assim que Passarem Cinco Anos, Lorca escreveu "19 de agosto de 1931" e assinou. Passados exatamente cinco anos, no dia 19 de agosto de 1936, naquela que é uma coincidência profética e assombrosa, Lorca foi fuzilado em Granada por militantes franquistas, no início da Guerra Civil Espanhola.

Autor

miguel.carvalho@sc.ipp.pt

Partilhar